Potrero Chico: Calcário, Sol, Tortilla e muita Escalada

setembro de 2013

Em busca de novas aventuras eu e meu companheiro Ingo Moller, seguimos no mês de agosto para passar 25 dias escalando no México. Antes de iniciar a trip buscamos informação na internet e conversamos com amigos que já haviam escalado no país. Para começar descobrimos que agosto não era temporada de escalada por lá, já que era verão e nesta época as temperaturas podem chegar a 40 graus. Também escutamos falar muito sobre a violência no norte do México. Porém o que foi unânime em todas nossas buscas por informação era que Potrero Chico e o melhor point de escalada no país. Dois dias antes de embarcar decidimos enfrentar o calor e a tão comentada violência do norte do México e partimos para Monterrey.  Os voos do Brasil chegam na Cidade do México, capital do país e a segunda maior cidade da América, até lé são cerca de 9 horas de viagem. Da Cidade do México e possível ir até Monterrey de avião ou ônibus. Por ser a metade do preço, seguimos até Monterrey de ônibus,  são doze horas de viagem, mas o ônibus é confortável, e o taxi até a Central Norte -, de onde sai o ônibus para Monterrey-, custa cerca de 200 pesos mexicanos. A cotação também é muito favorável,  R$1,00 vale 6 pesos mexicanos. Em Monterrey já éramos quatro, Renan Gradaschi de Santa Catarina e Lucas Portilho de Belo Horizonte também entraram na barca.

Entrada de Potrero Chico.

Para chegar a Potrero Chico pegamos um ônibus até a cidade de Hidalgo, cerca de uma hora de Monterrey, 32 pesos a passagem. Em Hidalgo é possível comprar toda a comida, ir no banco, farmácia e todo lo demas. Hidalgo é uma cidade pequena e acolhedora, os moradores estão acostumados a conviver com os escaladores que invadem a região na alta temporada de escalada, nos meses de dezembro e janeiro. Para subir até Potrero Chico a única opção é pegar um taxi, que sai por 80 pesos, são cerca de 20 minutos. Potrero Chico é de cair os queixos, deixar de boca aberta mesmo, rindo a toa e com as mãos coçando, coisa de louco. É tudo muito perfeito, um oásis no meio do deserto com vias de escalada de até 11 cordadas e esportivas que chegam a 5.13 em paredes negativas com tufas e chorreiras, tudo calcário. Opções de hospedagens não faltam, existem campings, quartos para alugar, tudo com estrutura de cozinha, banheiro, e piscinas, porque no calor do norte do México esse item é indispensável. Nós ficamos na La Pagoda, acampados e com toda a estrutura disponível alem de três piscinas, as quais éramos os únicos donos durante a semana, e pagamos 50 pesos por dia.

 

 

 

 

 

 

 

Nos finas de semana o lugar é dominado pelos moradores de Hidalgo que também são filhos de Deus e sobem até as piscinas de Potrero Chico para se refrescarem um pouco. A caminhada até a base das vias é de 15 minutos, as vias mais afastadas estão a cerca de 40 minutos. É muita escalada e não se caminha praticamente nada, vias de quatro cordadas uma do ladinho da outra, via fácil, via difícil, tem muito para todo tipo de escalador. Potrero é um daqueles lugares que você tem que ir. O México e um pais acolhedor e muito barato para viajar. A violência, o narcotráfico, tudo isso que tanto nos falaram nos não vimos nada, ainda bem. Também não ficamos marcando toca por aí. Somos brasileiros e já estamos acostumados a tomar certos cuidados como não sair tarde da noite na rua, não ostentar pertences, etc, etc, etc,.

 

 

 

 

 

 

 

 

Também conseguimos lidar com o sol quente do verão muito bem, começávamos a escalar com o nascer do sol, algumas vezes até antes, nas paredes que ficavam na sombra pela manhã. Chegávamos no chão ainda na sombra, isso por volta das 10, 11 da manhã. Daí até as 3, 4 da tarde era a hora de almoçar, tomar cerveza, curtir uma piscina. Depois querendo ainda era possível escalar nas paredes onde haviam sombra até as 8 da noite.  O Renan, o Ingo e o Lucas ainda fizeram uma escalada noturna pela via Time Wave Zero, 11 cordadas 5.12c. Começaram a escalada as quatro da tarde, chegaram no cume a meia noite, dormiram na parede e estavam de volta em casa por volta das 10 da manhã.  Entre tantas escaladas, as mais mais foram a Estrellita 360 metros 5.11b; Satori 200m 5.10c; Snot Girlz 200m 5.10d; Space Boys 400m 5,10d; Treasures of the Sierra Madre 5.10c 200m; vias clássica que estando em Potrero você tem que escalar.

 Nos meses de alta temporada Potrero Chico recebe muitos escaladores que baixam dos Estados Unidos onde já esta muito frio para escalar, alem de canadenses e franceses. Os moradores locais nos contaram que chegam a ter 600 escaladores por ali, e é preciso entrar na fila para escalar as vias mais clássicas. No tempo que estivemos por la éramos praticamente os únicos escaladores, somente nos fins de semana apareciam alguns de Monterrey. Adorei Potrero fora da temporada, prefiro o sol do que a ” crowed”.  Nas grandes paredes de Potrero existem pedras soltas e blocos que podem cair, as vias longas são escaladas de aventura, e pedra solta faz parte do pacote, é preciso estar atento quanto a isto. Não escalar se já tiver alguém na via e nem ficar marcando nas  bases, capacete é item essencial. Setembro e outubro são os meses de chuva por lá, e depois já começam a chegar os gringos. Enfim,  o que mais falar de Potrero? Bem, os dias que passamos por lá foram de pura alegria e desfrute. Difícil mesmo foi ir embora de Potrero….

Onde ficar em Monterrey

Hostel El Aguacate

www.elaguacatehostal.com.mx

ramon@elaguacate.com.mx

Informação sobre Potrero

www.elpotrerochico.com.mx

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *