Suesca: principal setor de escalada da Colombia

Escalada em rocha da melhor qualidade e com muita variedade, tanto esportiva quanto tradicional. Alta montanha com lindas paisagens e fácil acesso em um ambiente inóspito e ainda pouco explorado. A Colômbia se abre para o turismo de aventura e promete que o único perigo de visitar o país é você se apaixonar e não querer mais voltar para casa.

Já havia escutado falar do lugar quando estive visitando o Peru, já que Suesca é o sitio de escalada mais popular entre os colombianos, e colombianos é o que não falta no Peru. As referências eram sempre as melhores, muitas fendas, vias de cordadas, tetos com agarras gigantes, arenito. Bom demais para acreditar. As fotos que já havia visto do lugar tão pouco fizeram jus a diversão proporcionada durante os dias que passei escalando em Suesca. Nada melhor que estar no lugar, para então comprovar, que tudo aquilo que falaram sobre o destino escolhido é realmente verdade.

São mais de 300 vias, segundo o último guia publicado do local em 2007. Uma linha de trem, praticamente desativada, percorre toda a extensão da parede de arenito. A rocha com altura máxima de 130m de longe parece ter muita vegetação, porém as vias de escalada seguem por diedros e fendas limpos, que proporcionam diversas possibilidades para colocação de proteção móvel (camalots, friends e nuts). Por ser arenito e não ter a mesma resistência do granito recomenda-se proteger mais do que o usual. Escalamos com um jogo completo de camalot, #1 e #2 repetidos e jogo de nuts. As vias são em sua maioria negativas, com muitos tetos e agarrões de cair para dentro, alucinante!!! Vias para todos os níveis e classe de escaladores. Em Suesca se escala tradicional com cinco cordadas sem nenhuma proteção fixa, ou vias esportivas de 5.13 e até 5.14, e também é comum encontrar escaladores carregando seus crash pads. Sim! Também tem boulder em Suesca. Mas afirmo e confesso, que o que mais me encantou no local foram os diedros e fendas finalizados com seus tetos e travessias, bem mais impressionante do que tecnicamente difícil.

 

 

 

 

 

 

 

Suesca também possui uma gente muito boa onda. Uma comunidade forte de escaladores, com associação e atividades regulares. Participamos de uma sessão de exibição de fotos, evento que acontece todo mês. Nos fins de semanas, “o parque”, – como a área de escalada é chamada pela comunidade -, recebe muitas pessoas, não só escaladores, mas também turistas que vêem de Bogotá e arredores. Daí é uma festa só! Se vende churros e empanadas nas bases das vias e tem criançada correndo por todos os lados. Alguns escaladores montam Top Rope nas vias mais fáceis na entrada do parque e oferecem a experiência de escalar em troca de alguns pesos colombianos. Nos fins de semana chegávamos cedo, por cerca das 8 da manha e os top ropes já estavam armados. Alguns escaladores locais também vivem como guias. Mas querendo se pode escalar no fim de semana e não ver nenhuma alma viva, basta se afastar um pouco da entrada e percorrer a linha do trem, caminhar uns 20 minutos e pronto, é só você, seu parceiro e a sua via.

 

 

 

 

 

 

 

O parque está localizado praticamente dentro da cidade de Suesca, ou melhor, do povoado de Suesca, e há cerca de 60 km de Bogotá, no Departamento de Cundinamarca. A empresa de transportes Alianza faz o trajeto Bogotá-Suesca-Bogotá a cada hora das 5 da manhã até as 9 da noite, saindo do Terminal Transmilenio e custam cerca de R$ 8.00 o trecho. No sentido Suesca-Bogotá o último ônibus da Alianza sai as 7 da noite. Para dormir em Suesca existe a opção de camping dentro do próprio parque, albergue e pousada. O custo varia de R$ 20,00 a R$50 por dia. A moeda é o peso colombiano e seu valor em relação ao real é quase o mesmo, fica elas por elas. Mas a comida é mais barata, se paga cerca de 6 pesos colombianos por um prato feito caprichado!

O clima é bem marcado por uma estação chuvosa e outra seca. A temperatura não varia muito, mas nos meses de dez, jan e fevereiro quase não chove.  Se bem que chuva não atrapalha quem realmente quer escalar em Suesca, com muitos negativos e tetos sempre tem alguma via que não molha. Estive por lá nos meses de outubro e novembro, já no fim da temporada de chuva, e aprendemos e escalar as vias longas pela manhã, onde se tem que sair por cima (já que não existem pontos fixos para rapelar e a negatividade da parede deixaria o rapel bem complicado) e depois no período da tarde quando começava a cair algumas pancadas de chuva escalávamos as vias esportivas que não molham.

Mas para escalar em Suesca sem aquela apreensão na parede causada pela chuva eminente nada melhor que os meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Quem sabe uma próxima vez! O que mais falar de Suesca!! Nada mais, realmente o melhor é ir lá, conferir tudo de perto…

Informações sobre Suesca

www.monodedo.com

colombia@monodedo.com

Onde ficar

www.hostelvivac.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *